COVID-19

Coronavírus: Marx Beltrão pede medidas econômicas como linhas de crédito e redução de impostos

Deputado é o coordenador da bancada alagoana no Congresso Nacional

POR: Assessoria
O coordenador da bancada alagoana no Congresso Nacional, deputado federal Marx Beltrão (PSD)
Assessoria

O deputado federal Marx Beltrão (PSD), coordenador da bancada federal alagoana no Congresso Nacional, sugeriu nesta quinta-feira (19) por meio de requerimento dirigido ao ministro da Economia Paulo Guedes duas medidas de socorro às empresas brasileiras e alagoanas diante do agravamento da pandemia do coronavírus. O documento foi protocolado na Câmara dos Deputados e solicita a implementação de linhas de crédito para fomento da economia e a redução de impostos com prorrogação dos pagamentos por parte das empresas.

“São milhares de empreendedores e empresários no Brasil e em Alagoas que serão beneficiados caso o Ministério da Economia acate nossos pleitos. Sabemos que a pandemia do coronavírus está causando também um efeito nefasto em nossa economia e nossas demandas ao ministro Paulo Guedes, se acatadas, vão em muito beneficiar quem gera empregos em nosso país. O problema de saúde é extremamente grave, mas os prejuízos ao setor produtivo nacional também precisam ser combatidos” afirmou Marx Beltrão.

No requerimento, Marx Beltrão pede a “criação e a implementação por parte dos bancos públicos de fomento do Brasil, mais notadamente o BNDES (Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social) e o BNB (Banco do Nordeste do Brasil S.A.) de linhas de crédito com juros zero para imediata capitalização do setor empresarial nacional. O parlamentar também solicita a “redução das alíquotas e o alongamento dos prazos para pagamento dos tributos, taxas e impostos federais incidentes sobre a atividade empresarial brasileira, a saber o Imposto de Renda Pessoa Jurídica (IRPJ), o Imposto sobre Produto Industrializado (IPI), a Contribuição para o Programa de Integração Social (PIS), a Contribuição Social sobre o Faturamento das Empresas (COFINS) e o Imposto sobre Importações (II)”.

“O fato é que o estado pandêmico mundial e nacional está causando efeito nocivo em cadeia também em nossa economia local, debilitando empresas de pequeno, de médio e de grande porte, agravando o cenário de crise do setor produtivo e empreendedor brasileiro e de Alagoas” diz o documento assinado pelo parlamentar. Além de atuar com medidas no campo da saúde pública, o governo federal vem buscando meios para estimular a economia nacional, também afetada pela pandemia do Covid-19.

A pandemia de coronavírus pode desencadear uma crise econômica global, destruindo até 25 milhões de empregos em todo o mundo se os governos não agirem rapidamente para proteger os trabalhadores do impacto, informou a Organização Internacional do Trabalho (OIT). A organização pediu medidas urgentes, em larga escala e coordenadas para proteger os trabalhadores em seu local de trabalho, estimular a economia e apoiar empregos e renda. Na quarta-feira (18), o ministro da Economia, Paulo Guedes anunciou um programa de ajuda para autônomos em função do impacto na economia do Covid-19, prevendo a concessão direta de recursos aos trabalhadores informais ao custo de R$ 5 bilhões por mês, pelo prazo de três meses, levando o total da investida a R$ 15 bilhões.

Coronavírus Covid-19 Marx Beltrão

Veja Também

Comentários