"O MITO"

Em culto, Bolsonaro é recebido como ‘mito’ e defende Mendonça no STF

Jair Bolsonaro foi a evento de comemoração aos 25 anos do templo religioso Igreja Apostólica Fonte da Vida, em Brasília

POR: Poder 360
Presidente
Reprodução

O presidente Jair Bolsonaro participou neste domingo (4.ago.2019) de cerimônia de celebração dos 25 anos da Igreja Apostólica Fonte da Vida, em Brasília. Foi recebido pelo público aos gritos de “mito” e voltou a sinalizar a possibilidade de indicar o ministro da AGU (Advocacia Geral da União), André Luiz Mendonça, para o STF (Supremo Tribunal Federal).

O presidente disse que Mendonça, que é pastor, e “terrivelmente evangélico”.Esse tem sido 1 critério apontado como necessário para uma das suas próximas duas indicações.

Na celebração, Bolsonaro fez acenos ao público conservador ao, por exemplo, criticar a decisão do STF “de tipificar a homofobia como racismo, interferindo no Poder Legislativo”. Criticou também o que chamou de “politicamente correto”. “Não pode falar que vai ‘denegrir’ a imagem de ninguém porque corre risco de sofrer processo de racismo.”

O presidente abordou a relação entre os 3 Poderes ao dizer que não criticaria o Legislativo e Judiciário, mas que esperava que não fosse criticado também. “Tomos nós temos acusações, mais graves ou não, mas temos a responsabilidade de tocar esse Brasil para frente”, disse.

Ao final da celebração, os fiéis rezaram pela aprovação da reforma da Previdência pelo Congresso Nacional e para que Bolsonaro seja reeleito presidente.

Ele também voltou a defender a legalização do garimpo no Brasil. “A legalização vai dar dignidade a eles”, disse.

Em sua fala, o presidente fez críticas à imprensa. Disse que a mídia “ainda está na oposição” e que às vezes não lê nenhum jornal de manhã para “não começar o dia envenenado”. Mais cedo, ao deixar o Palácio da Alvorada, já havia chamadoreportagem do jornal O Globo de “mentira deslavada”. 

Bolsonaro retornou ao Palácio da Alvorada por volta das 13h e parou o carro na entrada para cumprimentar apoiadores.

 

Bolsonaro culto evangélica igreja mito presidente

Veja Também

Comentários