PATRIMÔNIO

Iphan rebate Loiola e nega abandono do Fortim Bass em Porto Calvo

Superintendente do Iphan disse ainda que a fortificação ainda está em obras

POR: Maurício Silva
Fortim Bass em Porto Calvo está sendo restaurado pelo Iphan
Assessoria

O superintendente do Instituto do Patrimônio Histórico Artístico Nacional em Alagoas (Iphan/AL), Mário Aloísio Barreto, negou veementemente nesta quarta-feira (20) que o Fortim Bass, em Porto Calvo, na região Norte do estado, esteja abandonado. Em sessão na Assembleia Legislativa desta terça-feira (19), o deputado Inácio Loiola (PDT) denunciou que a fortificação está desarrimada.

Mário Aloísio Barreto disse que o Fortim Bass não está abandonado e ainda está obras. O forte começou a ser restaurado no dia 19 de novembro de 2017 e teve a primeira etapa concluída no começo de maio deste ano com a pesquisa e montagem da estrutura da fortificação. O trabalho foi feito pela Arqueolog Pesquisas.

O superintendente afirmou que a segunda etapa ainda vai iniciar em breve. “Ainda está em obras. Não tem nada abandonado. A segunda etapa vai começar em julho ou no mais tardar em agosto. Já foi feito o aditivo de mais de R$ 100 mil para a drenagem e replantação das gramas”, informou.

Em pronunciamento, Inácio Loiola também afirmou que o Iphan entregou o Fortim Bass à Prefeitura de Porto Calvo. Mário Aloísio Barreto também negou que o instituto tenha repassado as responsabilidades para o município. Ele disse que até o momento toda a fortificação está com a responsabilidade do Iphan.

O prefeito de Porto Calvo, David Pedrosa (MDB), também confirmou que a fortificação não foi repassada para a prefeitura. “Ainda está em obras e não foi entregue à prefeitura. O forte ainda está com a responsabilidade do Iphan e nada vai ser abandonado. Acredito que o deputado Inácio Loiola está muito mal informado”, disse.

O superintendente disse também que após todas as etapas serem concluídas vai reunir Prefeitura de Porto Calvo e Governo do Estado para viabilizar meios para a exploração turística da fortificação do período Holandês no Brasil. Mário Aloísio Barreto também afirmou que nos próximos dias virá a Porto Calvo para se reunir com o governo municipal para discutir a segunda etapa de restauração do fortim.

O Fortim Bass
Segundo o estudo do Iphan, o reduto da Ilha do Guedes é um provável acampamento de Johannes Lichthard, um almirante neerlandês a serviço da Companhia Holandesa das Índias Ocidentais, no século 17.

No século XVII a região foi cenário de movimentações de tropas, de batalhas e de fortificações durante o embate travado entre holandeses e ibéricos pelo território brasileiro.Em Porto Calvo, entre 1637 e 1645 , ocorreram cercos e batalhas que alternaram a sua posse, até que a campanha conduzida pelo conde Maurício de Nassau, após batalha decisiva, o conquistou, expulsando as tropas ibero-brasileiras para a Bahia.

Fortim Bass Inácio Loiola Iphan Porto Calvo

Veja Também

Comentários